Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

Neurologia

Neurologia

Data de Criação - 19 de junho de 1959

Diretora de Serviço - Carolina Garrett

Enfermeiro Chefe - Delfim Oliveira

 

Missão

O Serviço de Neurologia tem como principal função a avaliação clínica e o tratamento dos utentes com doenças (ou suspeita) do sistema nervoso central e periférico e do músculo. A definição do âmbito da Neurologia não é simples, mas segundo o British Council a Neurologia abrange todas as doenças estruturais do sistema nervoso central e periférico, doenças que envolvem o músculo e ainda doenças, tal como as cefaleias, nas quais não existem lesões estruturais identificáveis. Outras situações, tais como a epilepsia e perdas de conhecimento, nas quais existem alterações fisiológicas e não anatómicas, também pertencem ao âmbito desta especialidade. Para além deste objeto de intervenção principal, a Neurologia é fundamental na avaliação de manifestações neurológicas de outras doenças, colaborando na definição do plano terapêutico em colaboração com outras especialidades. Por último, refere-se ainda o papel na necessidade frequente e importante da definição dos diagnósticos diferenciais eventualmente em causa.
Para além das funções assistenciais, tem ainda funções de formação no ensino pré-graduado e pós-graduado recebendo, para além dos internos de Neurologia do Centro Hospitalar de São João (CHSJ), internos de outras especialidades (Medicina Interna, Medicina Física e Reabilitação, Neurorradiologia, Neurocirurgia, Reumatologia, Psiquiatria,…), bem como Neurologistas em formação contínua e internos de neurologia de outras instituição para realização de estágios em áreas particulares. Exerce ainda funções específicas de formação nas áreas da Neurossonologia e da Neuropsicologia (que tem sido procurada diretamente por várias instituições de ensino superior).
Tem ainda funções de investigação, que exerce essencialmente na área das doenças vasculares cerebrais, das doenças desmielinizantes , nas doenças do movimento e nas vertente neuropsicológica.

 

Objetivos (3 anos)

O serviço tem elementos motivados, dinâmicos e capazes de se ultrapassarem e colmatarem, à custa de trabalho excessivo, as dificuldades de outros mais velhos e com menor rentabilidade em termos de produção. Um rejuvenescimento do Serviço é absolutamente necessário para que muitos dos objetivos sejam alcançáveis.

Pretende-se mudar a forma como as pessoas vêem o Serviço, o sintam como seu, com a ambição de obter um estatuto digno do que de melhor se faz em Neurologia.

Fazer compreender que a atividade assistencial é a prioridade, mas que a formação e a investigação são também essenciais e devem ser uma consequência natural da assistência. Compreender que a coabitação com a Faculdade de Medicina da U. Porto é uma mais-valia, que pode e deve ser aproveitada para uma investigação de qualidade.

A fim de reforçar esta vertente, está projetada a criação de normas de deslocação a reuniões internacionais com a finalidade de estimular a participação ativa nesses encontros. Será feita a promoção da participação ativa nas reuniões da Sociedade Portuguesa de Neurologia e suas secções ou Sociedades afiliadas. 

Sem alterar a unidade do Serviço, projeta-se a criação de unidades funcionais, especificamente voltadas para um grupo de doenças e da qual façam parte elementos, médicos e não médicos, de várias especialidades, necessários a um diagnóstico e tratamento de excelência.

Continuar a promover a atividade do grupo de doenças vasculares cerebrais, permitindo que o CHSJ continue a ser um exemplo de como se aborda o AVC nas suas diversas vertentes.

Criar uma unidade particularmente vocacionada para o estudo da deterioração cognitiva, já que a demência é um dos flagelos atuais e com tendência a aumentar. Esta unidade englobaria pelo menos 2 psicólogas com preparação em neuropsicologia e pelo menos 3 médicos que promoveriam o diagnóstico etiológico e o tratamento. Esta atividade seria particularmente útil se associada a um acompanhamento médico e social nos seus locais de residência.

Melhorar o desempenho das reuniões do grupo de doenças desmielinizantes, promovendo a discussão de diagnósticos, opções terapêuticas e registo.

Reorganizar a consulta interna para que as unidades possam ter apoio neurológico mais célere e eficiente.

Tentar criar condições para uma investigação de qualidade aproveitando a proximidade com a FMUP.

 

Antecedentes/ História

O Serviço de Neurologia foi criado em 18 de junho de 1959, logo após a inauguração do Hospital.
Estava integrado no Serviço de Propedêutica Médica, sendo Diretor Manuel Cerqueira Gomes e ocupava a ala poente dos pisos 3 e 4, passando mais tarde para o piso 7.

O grande impulsionador do Serviço foi Celso Cruz, que dirigia o Serviço juntamente com a Neurocirurgia. Só em dezembro de 2000 se separaram em dois serviços independentes.

O Serviço desenvolveu áreas como a Neuroradiologia, a Neurofisiologia e áreas de consulta de patologias, como as doenças do movimento, a esclerose múltipla, as demências, as cefaleias, a doença cerebrovascular e outras.