Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

Urgência

Urgência Polivalente 

Quando recorrer ao Serviço de Urgência (SU)?

O SU do Centro Hospitalar de São João (CHSJ) está integrado num hospital central, universitário e serve de referência para a maior parte da população a Norte do rio Douro, servindo também como centro primário de urgência para uma grande parte da população do Porto e concelhos limítrofes. Neste SU são observados, em média, cerca de 420 doentes adultos por dia. Este número implica, por si só, um esforço significativo em termos de recursos humanos e materiais de forma a garantir, em cada momento, o melhor atendimento a todos aqueles que a ele acorrem. Torna-se então fundamental, constituindo inclusive um verdadeiro exercício de cidadania, que apenas aqueles utentes com verdadeiras situações urgentes recorram ao SU.

 

O que é uma situação de urgência?

É toda a situação clínica em que o atraso no diagnóstico, ou tratamento, pode trazer graves riscos para o doente.

São exemplos de situações urgentes: os casos de traumatismo grave, intoxicações agudas, queimaduras, crises cardíacas ou respiratórias.

Todas as situações que não se enquadrem nesta definição não devem, por princípio, ser observadas num SU.

Se tiver dúvidas sobre o melhor local para a resolução de algum problema de saúde que se lhe depare consulte a Linha de Saúde 24-808242424 ou INEM-112

 

Plano de Prevenção

Plano de Prevenção da Transmissão de Infeção Respiratória

  • À chegada ao SU, no momento da inscrição nos Serviços Administrativos, será perguntado ao doente se tem tosse e febre. Em caso de resposta afirmativa o administrativo entregar-lhe-á uma máscara que o doente deverá colocar imediatamente;
  • Em casos pediátricos a máscara será entregue apenas a crianças com mais de 3 anos;
  • Se recusar a responder ou a colocar a máscara ser-lhe-á explicado que o objetivo deste procedimento é evitar a transmissão a outros, doentes e funcionários, da infeção respiratória que possa ter;
  • Caso mantenha a recusa essa decisão será respeitada;
  • O enfermeiro da Triagem confirmará a existência de tosse e febre e fornecerá ao doente informação sobre normas de prevenção de transmissão da infeção.

 

Áreas Funcionais do SU

Área de admissão e receção/ Área Administrativa

Localizada logo à entrada do SU, é o local onde são realizados os procedimentos administrativos necessários à admissão do doente e acompanhante. Contiguamente, encontra-se também o local de realização de outros processos administrativos como são as altas, os internamentos, receção de reclamações, etc. Adjacente a esta zona existe uma sala de espera onde o doente aguarda a chamada para o gabinete de Triagem.

 

Área de triagem/ Prioridade no Atendimento no SU

Após a admissão, o doente, acompanhado ou não de acordo com a sua condição, passará para Área de Triagem onde é feita uma avaliação inicial por enfermeiro(a). Esta avaliação é baseada num protocolo específico e com base científica (Triagem de Manchester) que permite a classificação da situação clínica do doente em termos de prioridade de atendimento e sempre de acordo com a sua urgência. O principal objetivo deste protocolo é o de assegurar, de forma objetiva, que o doente mais urgente é identificado de imediato e atendido num prazo de tempo que não ponha em risco a sua situação clínica. Os níveis de Classificação são os seguintes:

 

 Pulseira Vermelha: doentes emergentes.

 Pulseira Laranja: doentes muito urgentes.

 Pulseira Amarela: doentes urgentes.

 Pulseira Verde: doentes pouco urgentes.

 Pulseira Azul: doentes não urgentes.

 

Adicionalmente, os doentes com sinais ou sintomas compatíveis com  Acidente Vascular Cerebral, Obstrução das Artérias Coronárias, Infeções Generalizadas e Traumatismos graves entram em vias prioritárias de  atendimento - Vias Verdes - que facilitam o atendimento quase imediato destes doentes, já que está provado que, nestes casos, um tratamento mais precoce diminui o risco de vida ou de perda de um órgão.

Portanto a prioridade de atendimento no SU pode não se relacionar com as doenças prévias do doente, mesmo que estas sejam graves.

 

Área de atendimento para situações de Urgência do foro Psiquiátrico

Local onde é feito o atendimento urgente, e orientação, de todas as situações do foro Psiquiátrico da área Metropolitana do Porto.

 

Área de atendimentoAmarelo

Neste espaço são observados os doentes classificados com um nível baixo ou intermédio de prioridade (cor Verde, Azul e Amarelo). Adjacente a esta área existe uma zona de espera para os doentes triados para este sector mas ainda não observados e para aqueles que tendo sido já observados, aguardam algum exame ou observação por um especialista a quem tenha sido solicitada consultadoria.

 

Área de atendimentoLaranjae Unidade de Curta Permanência (UCP)

Espaço para atendimento dos doentes triados com cor Laranja. Esta área serve em simultâneo para a vigilância e/ou tratamento de doentes com situações clínicas nas quais se prevê um período de até 12 horas (excecionalmente 24 horas) para a sua resolução ou decisão quanto a internamento ou alta. Esta área está equipada com equipamento de monitorização de parâmetros vitais e assegura vigilância médica e de enfermagem de modo permanente e contínuo. A área da UCP pode receber doentes triados com cor Laranja bem como doentes inicialmente triados com outra cor ou observados em qualquer outro sector e que preencham os requisitos acima especificados.

 

Área de Ortotraumatologia

Área onde é prestada assistência a doentes vítimas de traumatismo de pouca gravidade ou que necessitem de procedimento cirúrgico menor.

 

Área de emergência e doente crítico (Sala de Emergência)

Na Sala de Emergência faz-se a receção, avaliação e estabilização inicial de doentes com situações emergentes em que existe geralmente risco de vida ou compromisso de funções vitais a necessitar de tratamento imediato.

 

Área de Urgência de Oftalmologia e Área de Urgência de Otorrinolaringologia 

São áreas de urgência onde são atendidos doentes com problemas específicos destas especialidades.

Circuito do doente

1. Após a entrada no SU, e após os procedimentos administrativos, deve dirigir-se para a zona de espera da triagem.

2. Na triagem, consoante o problema/queixas apresentadas, é atribuída uma Cor que define a prioridade de atendimento. Adicionalmente poderá entrar numa via prioritária de atendimento (Via Verde).

3. Consoante a avaliação e cor atribuída o doente é encaminhado para a Área Laranja, Área Amarela, Área de Ortotraumatologia ou Áreas de Urgência de Oftalmologia ou Otorrinolaringologia.

4. Após a observação clínica na área para onde foi encaminhado poderá ser necessária a realização de tratamentos ou exames complementares de diagnóstico em outras áreas do SU, ou do Hospital.

5. Após a alta e antes de abandonar o SU o doente deve dirigir-se ao posto administrativo assinalado com a indicação "Altas" e ali validar todos os documentos que lhe foram entregues (receitas, credenciais, marcações de consulta, etc.). Se for internado o doente será conduzido ao Serviço de Internamento e os seus familiares ou acompanhantes informados da decisão de internamento

 

Acompanhantes

Se vem acompanhar um doente deve:

  • Fazer o seu registo na admissão do doente ou posteriormente no Gabinete de Apoio ao Acompanhante (GAA) (ver abaixo).
  • Esperar calmamente na Sala de Espera de Acompanhantes onde será chamado pelo funcionário do GAA.
  • Dirigir-se ao GAA quando chamado e identificar-se como familiar ou acompanhante responsável para receber as informações respeitantes ao doente que acompanha ou estar com ele.
  • Se não for chamado pode dirigir-se de 2 em 2 horas ao GAA para obter informações sobre o estado do doente que acompanha ou estar com ele.

 

Um novo conceito de SU

AS instalações do SU foram projetadas obedecendo a um grande objetivo que é o da estrutura física se adaptar ao conceito de funcionalidade e organização idealizado. Este novo conceito baseia-se no princípio da separação dos doentes de acordo com a gravidade da sua situação, criando-se locais específicos de atendimento e observação para cada nível de cuidados que é necessário.

O SUP do CHSJ está assim organizado em diversas áreas funcionais:

  • Área de admissão e receção/Área Administrativa
  • Área de triagem
  • Área de atendimento para situações de Urgência do foro Psiquiátrico
  • Área de atendimento "Amarelo”
  • Área de atendimento "Laranja" e UCP
  • Área de Ortotraumatologia
  • Área de emergência e doente crítico (Sala de Emergência)
  • Área de Urgência de Oftalmologia
  • Área de Urgência de Otorrinolaringologia

Para além destas áreas funcionais, o espaço físico do SU alberga ainda o Gabinete de Apoio ao Acompanhante, um posto da PSP e uma Sala de Acompanhantes.

 

Gabinete de Apoio ao Acompanhante (GAA)/ Informação ao Acompanhante

O Gabinete de Apoio ao Acompanhante (GAA) ocupa um espaço físico junto à entrada do SU.

A função do GAA é ajudar na orientação do Acompanhante e na Informação que lhe é prestada. Neste processo são interveniente um funcionário administrativo, Voluntários, pessoal clínico (médicos e enfermeiros) e Seguranças. O GAA funciona diariamente das 8h às 24h, passando as suas funções, no restante período, para a Área Administrativa.

  • No momento da inscrição do doente, nos Serviços Administrativos, o administrativo identifica o acompanhante de referência do doente, sendo-lhe colocada pulseira  identificativa roxa.
  • O acompanhante de referência terá acesso e pode permanecer na Sala de Acompanhantes até ser chamado.Em determinadas circunstâncias clínicas identificadas na Triagem o Acompanhante pode passar a permanente seguindo com o doente e permanecer junto dele sempre que as circunstâncias do doente e  do Serviço o permitam. Seguem também com o doente os doentes triados para a área LARANJA e Áreas de Urgência mais periféricas (Urgência de Oftalmologia e Urgência de Otorrinolaringologia). Nessas circunstâncias o acompanhante pode ir com o doente e permanecer na Sala de Espera dessa área, até ser dispensado pelo médico encarregue da observação do doente. Caso essa dispensa se verifique o acompanhante passa a aguardar na Sala de Acompanhantes.
  • O Administrativo do GAA identifica de forma regular todos os doentes com acompanhante para lhe ser prestada informação disponível e estarem junto do seu doente por um período de acordo com a circunstância do Serviço. No mínimo este procedimento é efectuado para acompanhantes que estejam há mais de 2 horas no SU e periodicamente de 2horas em 2horas.
  • Para os doentes admitidos na UCP é possível a entrada para “visita”, necessariamente de curta duração, de um acompanhante por doente. Para o efeito o acompanhante deve dirigir-se ao GAA ou, caso se encontre na sala de espera da área "Laranja", a um médico ou enfermeiro desse sector e solicitar essa “visita”.

 

Urgência Pediátrica

A Urgência Pediátrica do Porto está centralizada no CHSJ, e é referência de toda a assistência pediátrica urgente da zona Norte do País.

É objetivo da Urgência Pediátrica do Porto tratar com qualidade e eficiência todas as crianças e adolescentes até aos 13 anos de idade, com doença aguda que acorrem ao SU.

O acesso é global, direto e referenciado, sendo desejável a observação prévia das crianças e adolescentes pelo seu médico assistente, excetuando os casos de doença súbita ou violenta.

O SU de pediatria do CHSJ está organizado nas seguintes áreas:

· Área de admissão e receção
· Área de triagem
· Área de OBS
· Área de emergência pediátrica

Para além destas áreas funcionais, existem uma sala de espera para o doente e respetivo acompanhante e um posto da PSP.

 

Áreas Funcionais da Urgência Pediátrica

Área de admissão e receção

Localizada logo à entrada da Urgência de Pediatria está a zona onde são realizados os procedimentos administrativos necessários à admissão do doente. Adjacente a esta zona existe uma sala de espera onde o doente aguarda a chamada para o gabinete.

 

Área de triagem

Após a admissão, o doente, acompanhado por familiar, entra para a zona de triagem para ser atendido por um médico especialista.
Existem 6 gabinetes médicos, sendo um dos quais destinado para as pequenas cirurgias.

 

Área de OBS

Espaço para atendimento de crianças e adolescentes que necessitam de vigilância e/ou tratamento com situações clínicas nas quais se prevê um período de permanência até 24 horas para a sua resolução ou decisão quanto a internamento ou alta. Esta área está equipada com 9 camas e equipamento de monitorização de parâmetros vitais e assegura vigilância médica e de enfermagem de modo permanente e contínuo.

 

Área de emergência pediátrica

Constituída por uma Sala de Emergência, faz-se a receção, avaliação e estabilização inicial das crianças e adolescentes com situações emergentes em que existe geralmente risco de vida ou compromisso de funções vitais a necessitar de tratamento imediato.

 

Circuito do Doente

1. Após a entrada no SU, e após os procedimentos administrativos, deve dirigir-se para a zona de espera da triagem.

2. Após a observação clínica na área de triagem poderá ser necessária a realização de tratamentos ou exames complementares de diagnóstico em outras áreas do SU, ou do Hospital.

3. Após a alta e antes de abandonar o SU o doente deve dirigir-se ao posto administrativo e ali validar todos os documentos que lhe foram entregues (receitas, credenciais, marcações de consulta, etc.). Se for internado o doente e o acompanhante serão conduzidos ao Serviço de Internamento do CHSJ ou transferido para outro Hospital.