Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

icone topo site (002)

Médico do São João vence bolsa de investigação D. Manuel de Mello

21 de Abril de 2021
Helder novais 1 1024 550

Hélder Novais e Bastos, médico do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ), venceu a Bolsa de investigação D. Manuel de Mello, no valor de 50 mil euros. Este valor que é o maior prémio nacional de incentivo à investigação, será investido para criar um registo português de pessoas com fibrose pulmonar, com biobanco associado para seguir e monitorizar diagnosticados. 

Desconhecem-se muitos aspetos sobre a etiologia desta doença, mas os efeitos vão sendo cada vez mais conhecidos - e são especialmente limitadores, já que provocam cansaço e dispneia em tarefas tão simples como falar ou tomar banho. Trata-se de uma patologia de evolução imprevisível e cura ainda desconhecida, que afeta 27 em cada 100 mil portugueses. 

O grande desconhecimento que ainda existe sobre esta condição rara fez que a fibrose pulmonar se tornasse, nos últimos anos, numa das principais razões para transplante do pulmão, representando cerca de um terço do total de transplantes deste órgão no mundo. E Portugal não é exceção. O diagnóstico normalmente tardio, "a inexistência de marcadores fiáveis que permitam prever a evolução da doença e o quão precoce ou intensivo deve ser o tratamento, aliada à escassez de alternativas terapêuticas disponíveis", deram o mote, adiantam os responsáveis pela atribuição da bolsa, para o estudo liderado pelo jovem professor e investigador da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S). 

O projeto foi merecedor da escolha para atribuição da bolsa, o que lhe permitirá avançar na investigação "FIBRA-Lung: Interações hospedeiro-microbioma na busca por biomarcadores de doenças pulmonares intersticiais fibrosantes que regem a aceleração", cujo objetivo é melhorar o prognóstico e a qualidade de vida das pessoas que sofrem de fibrose pulmonar. O projeto liderado por Helder Novais e Bastos pretende investigar a prevalência dessas doenças pulmonares que conduzem à fibrose progressiva e "explorar as interações entre a genética do indivíduo e os diferentes fatores ambientais, por forma a identificar novos biomarcadores que permitam avaliar a evolução da doença e indicar precocemente o tratamento mais adequado e personalizado" para cada pessoa, ajudando assim a melhorar o prognóstico e a qualidade de vida de quem sofre de fibrose pulmonar.

Mais uma inovação trazida pelo médico pneumologista no Centro Hospitalar Universitário de São João e pela equipa de médicos do mesmo Centro Hospitalar e da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, em cooperação com biólogos e imunologistas do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) - onde se centrará grande parte da pesquisa laboratorial -, sob a coordenação de Margarida Saraiva, do grupo de investigação "Immune regulation" (regulação imune), é a possibilidade de criar o primeiro registo português de doentes com fibrose pulmonar, incluindo um biobanco associado no qual os participantes "serão seguidos e monitorizados ao longo dos primeiros anos após o diagnóstico". Através desse biobanco, explicam ainda os responsáveis pela atribuição da bolsa, será possível cruzar os dados da "evolução da doença com os perfis moleculares e a composição de microorganismos" presentes no sistema respiratório de cada doente. 

 Instituída em 2007 pela Fundação Amélia de Mello em parceria com a CUF, a bolsa de investigação D. Manuel de Mello, atribuída anualmente há 14 anos, destina-se a premiar jovens médicos que desenvolvam projetos de investigação clínica, no âmbito das unidades de investigação e desenvolvimento das Faculdades de Medicina portuguesas.