Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

icone topo site (002)

Médico e Enfermeiro do São João dão formação na Guiné-Bissau, no âmbito do combate à COVID-19

10 de Maio de 2021
Missa o guine  site 1 1024 550

Mário Branco, enfermeiro especialista em enfermagem médico-cirúrgica, e Nuno Gatta, médico especialista em medicina intensiva, ambos profissionais do Centro Hospitalar Universitário S. João (CHUSJ), estão em Bissau, no Hospital Simão Mendes, desde o início do mês, a dar cursos teóricos e práticos do tratamento da COVID-19.

Esta deslocação surge no âmbito do Plano de Ação na Resposta Sanitária à Pandemia de COVID-19, oficializado em Julho de 2020, entre Portugal e os PALOP, para o qual foi estabelecido um acordo de cooperação entre o Camões IP e a Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos (SPCI), ficando a cargo desta última instituição a organização de um Curso de Formação em Abordagem e Tratamento ao Doente Crítico COVID-19, constituído por uma componente teórica e outra prática, no qual estes dois profissionais do CHUSJ estão integrados.

As sessões de formação decorrem até ao dia 11 de maio, integram conceitos e recomendações de avaliação do doente crítico, técnicas de ventilação mecânica não invasiva e invasiva, suporte básico de vida ou de suporte avançado de vida, bem como procedimentos de utilização de desfibrilador automático externo.

De acordo com o enfermeiro Mário Branco esta "tem sido uma experiência muito enriquecedora", opinião reforçada pelo médico Nuno Gatta que explica que "é muito gratificante colaborar na formação de médicos e enfermeiros do Hospital Simão Mendes, com a finalidade de melhorar os cuidados de saúde prestados aos guineenses".

Para o médico Nuno Gatta "a Medicina Intensiva é uma área de profundo défice de cuidados na Guiné Bissau, onde qualquer melhoria de cuidados ao doente crítico pode ter um extraordinário impacto. Sabemos que neste contexto a formação pontual e avulsa não é consequente, daí que este projeto implica não só a dotação das instituições com equipamentos, mas também uma formação e acompanhamento presencial e à distância mantidos a longo prazo", o que reforça ainda mais a particular importância desta parceria promovida pelos profissionais do São João.