Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

icone topo site (002)

Outas informações

Caracterização do Serviço:

Criado em 1964, foi designado como Serviço de Doenças Infeto-Contagiosas dada a prevalência da patologia infeciosa clássica em que doenças como o sarampo, tosse convulsa, poliomielite, infeção meningocócica, difteria e mesmo tuberculose eram infeções dominantes (e que levaram à criação do PNV em 1965). Controladas as doenças infeciosas clássicas, outras têm sido relevantes e a motivar a especificidade do conhecimento na área das doenças infeciosas. Umas surgem de forma inesperada como as pandemias, de que são exemplo a pandemia pelo VIH já com quase 40 anos de evolução, a pandemia pelo vírus influenza A (H1N1p), a pandemia por SARS-CoV2 e mais recente e atual, o surto de Monkeypox. As doenças emergentes pelo seu impacto em Saúde Pública há necessidade de intervenção diagnóstica precoce, vigilância clinica, monitorização de saúde pública, medidas educacionais e de prevenção aos doentes diagnosticados e outras atitudes a definir de acordo com a evolução e em que a Infeciologia está sempre na 1ª linha de atuação. É desde 2021, Serviço de Referência de Doenças Emergentes na região Norte. Também a resistência aos antimicrobianos é hoje uma doença emergente com as previsões da OMS a apontarem para a infeção como a principal causa de morte em 2050, realçando a necessidade de conhecimento e intervenção por infeciologistas na consultadoria e apoio à prescrição de antibióticos. Outras pandemias irão surgir no futuro de forma não expectável e que levarão mais uma vez a uma necessidade de intervenção rápida, diferenciação de conhecimento, organização e formação dos profissionais.

A Infeciologia é uma especialidade transversal a todas as áreas, procurando responder:

  • às doenças emergentes
  • à patologia tropical importada (em viajantes ou migrantes),
  • às infeções zoonóticas endémicas,
  • à patologia infeciosa em imunodeprimidos (infeção pelo VIH |doentes sob terapêuticas imunosupressoras ou transplantação)
  • às infeções associadas aos cuidados de saúde, particularmente por agentes MDR
  • às infeções associadas a dispositivos

Unidades Orgânicas:

Internamento – Susana Silva
Unidade de Cuidados Intensivos – Paulo Figueiredo
Clínica de Ambulatório de VIH – Rosário Serrão
Consulta Externa – Cândida Abreu
Doenças Emergentes – Margarida Tavares

ESCMID Collaborative Center and Observership:

Observership Centre (ECC 208)
ESCMID Mentorship Centre (ID 19)
ESCMID Study Groups
GeoSentinel Affiliate member
Centro de Vacinação Internacional

Caracterização do Serviço:

Criado em 1964, foi designado como Serviço de Doenças Infeto-Contagiosas dada a prevalência da patologia infeciosa clássica em que doenças como o sarampo, tosse convulsa, poliomielite, infeção meningocócica, difteria e mesmo tuberculose eram infeções dominantes (e que levaram à criação do PNV em 1965). Controladas as doenças infeciosas clássicas, outras têm sido relevantes e a motivar a especificidade do conhecimento na área das doenças infeciosas. Umas surgem de forma inesperada como as pandemias, de que são exemplo a pandemia pelo VIH já com quase 40 anos de evolução, a pandemia pelo vírus influenza A (H1N1p), a pandemia por SARS-CoV2 e mais recente e atual, o surto de Monkeypox. As doenças emergentes pelo seu impacto em Saúde Pública há necessidade de intervenção diagnóstica precoce, vigilância clinica, monitorização de saúde pública, medidas educacionais e de prevenção aos doentes diagnosticados e outras atitudes a definir de acordo com a evolução e em que a Infeciologia está sempre na 1ª linha de atuação. É desde 2021, Serviço de Referência de Doenças Emergentes na região Norte. Também a resistência aos antimicrobianos é hoje uma doença emergente com as previsões da OMS a apontarem para a infeção como a principal causa de morte em 2050, realçando a necessidade de conhecimento e intervenção por infeciologistas na consultadoria e apoio à prescrição de antibióticos. Outras pandemias irão surgir no futuro de forma não expectável e que levarão mais uma vez a uma necessidade de intervenção rápida, diferenciação de conhecimento, organização e formação dos profissionais.

A Infeciologia é uma especialidade transversal a todas as áreas, procurando responder:

  • às doenças emergentes
  • à patologia tropical importada (em viajantes ou migrantes),
  • às infeções zoonóticas endémicas,
  • à patologia infeciosa em imunodeprimidos (infeção pelo VIH |doentes sob terapêuticas imunosupressoras ou transplantação)
  • às infeções associadas aos cuidados de saúde, particularmente por agentes MDR
  • às infeções associadas a dispositivos

Unidades Orgânicas:

Internamento – Susana Silva
Unidade de Cuidados Intensivos – Paulo Figueiredo
Clínica de Ambulatório de VIH – Rosário Serrão
Consulta Externa – Cândida Abreu
Doenças Emergentes – Margarida Tavares

ESCMID Collaborative Center and Observership:

Observership Centre (ECC 208)
ESCMID Mentorship Centre (ID 19)
ESCMID Study Groups
GeoSentinel Affiliate member
Centro de Vacinação Internacional