Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

icone topo site (002)

UAG da Urgência e Medicina Intensiva

Diretor: Nelson Pereira

NP

Contactosnelson.pereira@chsj.min-saude.pt

Vogal: Patrícia Alves Rocha; patricia.rocha@chsj.min-saude.pt 

Vogal: Isabel Ribeiro; isabel.ribeiro@chsj.min-saude.pt

Localização do serviço: Zona A-1 (Elevador A, piso -1)

Descrição da atividade: A Unidade Autónoma de Gestão da Urgência e Medicina Intensiva (UAG-UMI) é uma estrutura organizacional de nível intermédio do CHUSJ, dotada de autoridade e responsabilidade de Gestão, sobre um conjunto de áreas de ação-médica, nomeadamente do Serviço de Urgência Polivalente e Serviço de Medicina Intensiva (Adultos). Esta estrutura é gerida por um Conselho Diretivo, nomeado pelo Conselho de Administração. A UAG-UMI está centrada no doente, gerindo o doente emergente, urgente e crítico. Os serviços de Urgência e de Medicina Intensiva são referência para todo o país, e por isso com grande impacto na capacitação da resposta do Serviço Nacional de Saúde. Estes serviços integram quadros próprios de profissionais capazes de elevada qualidade assistencial e promove a atividade pedagógica - formação pré e pós-graduada - e a investigação. Nas unidades clínicas da UAG decorre o ensino assistencial da Área de Conhecimento de Medicina Intensiva e Medicina de Urgência da cadeira de Medicina – 6º ano da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, bem como o estágio optativo de Medicina da Urgência também destinado aos alunos do 6º ano.

Composição dos Serviços: O Serviço de Urgência Polivalente (SUP) tem várias áreas de receção de doentes urgentes/emergentes. A distribuição dos doentes pelos espaços físicos é feita de acordo com vários fatores, não só o motivo de recurso ao SUP e a prioridade atribuída através do processo da Triagem de Manchester, mas tendo também em conta as características intrínsecas do próprio doente, nomeadamente o seu grau de dependência e necessidade de apoio de terceiros. Dispõe ainda de Bloco Operatório próprio, com três salas cirúrgicas e área de recobro, vocacionado para a atividade cirúrgica urgente/emergente. O SUP serve uma área de referenciação primária de aproximadamente 320.000 utentes, distribuídos pelas freguesias de Campanhã, Bonfim e Paranhos, concelho do Porto (agregadas no ACES Porto Oriental) e todas as freguesias dos concelhos de Maia e Valongo (agregadas no ACES Maia-Valongo). Contudo presta também cuidados de Saúde Secundários e Terciários, sendo o hospital de referenciação para grande parte dos doentes graves da região a norte do Rio Douro, num total de quase 1.000.000. O Serviço de Medicina Intensiva (SMI) tem uma lotação de 68 camas, todas com nível máximo de cuidados, sendo que 10 camas estão em quartos de isolamento pressurizados. Este serviço funciona como polo do eixo da Rede de Referenciação de Medicina Intensiva e, como tal, tem o mais elevado índice de gravidade de doentes da região. Possui uma das duas únicas Unidade Cuidados Intensivos do país dedicada a doentes neurocríticos, e é um dos três Centros de Referência nacionais em ECMO, apresentando a mais elevada casuística em trauma grave da região.