Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Centro Hospitalar São João

icone topo site (002)

Medicina Interna

Medicina Interna

Data de Criação - 6 de abril de 2006

Diretor de Serviço - Jorge Almeida

Enfermeiros Chefe - Graça Silva, Isabel Rodrigues, Margarida Borges, Paula Maia e Virginia Pereira

 

Missão

Serviço Medicina Interna de referência nacional aliando a qualidade técnico-científica a formação, investigação clínica e docência. Excelência assistencial e hoteleira reconhecida pelos seus utentes. Organização motivadora dos seus profissionais que proporcione elevados níveis de satisfação.

O Serviço de Medicina Interna associa competências assistenciais, de formação pré e pós-graduada e de investigação, asseguradas por quadros de experiência reconhecida. Centrada no utente, a equipa de profissionais garante uma oferta da máxima complexidade, diferenciação e qualidade, visando a humanização, a acessibilidade, a equidade, a segurança e o conforto assistenciais. O Serviço de Medicina rege-se por valores de compromisso e de rigor nas suas relações, quer na referenciação, quer na atenção especializada e faz da criatividade e do pragmatismo as bases da parceria capaz de gerar resultados.

 

Objetivos (3 anos)

Em diferentes vertentes o Serviço pretende:

· Oferecer aos seus utentes continuidade e diferenciação na prestação de cuidados (quer no que respeita ao período de internamento (internamento – unidades intermédias), quer no seguimento ambulatório – em regime ambulatório hospitalar ou centro de Saúde).
· Consolidar o seu papel de Serviço charneira do internamento da UAG de Medicina
· Oferecer condições hoteleiras dignas e propicias ao controlo da infecção hospitalar
· Ser referência assistencial regional nas áreas de diferenciação do Serviço

Ser referência nacional e internacional nas suas áreas de investigação clínica (IC, HTA, Risco Cardiovascular, Tromboembolismo Venoso, DCV e D. Auto-Imunes)

 

Antecedentes/ História

Na área da Medicina Interna, o primeiro serviço a transferir-se para o Centro Hospitalar de São João foi o de Propedêutica Médica (Diretor: Manuel Cerqueira Gomes), no dia 17 de junho de 1959, com doentes do sexo masculino. Os primeiros médicos foram Mário Cerqueira Gomes, que recebeu os primeiros doentes, e Tomé Ribeiro, que assegurou a assistência clínica nessa noite no Hospital.

Nos dias seguintes transferiram-se os outros serviços de Medicina: Patologia Médica e Terapêutica Médica (Diretor de ambos os serviços: Pereira Viana), no dia 27 de julho de 1959, e Clínica Médica (Diretor: Ferraz Júnior), no dia 26 de novembro de 1959

A 1 de agosto de 1978, os serviços de Medicina mudaram a sua designação para Medicina 1 (Diretor: Cerqueira Magro), Medicina 2 (Diretor: Falcão de Freitas), Medicina 3 (Diretor: Mário Cerqueira Gomes) e Medicina 4 (Diretor: Manuel Hargreaves).

Em 2001 os serviços de Medicina 2 e Medicina 4 fundiram-se no Serviço de Medicina Interna A (Diretor: Falcão de Freitas) e os serviços de Medicina 1 e Medicina 3 no Serviço de Medicina Interna B (Diretor: Fernando Brandão).

Em abril de 2006, a Medicina Interna passa a funcionar como um único serviço (Diretor: Paulo Bettencourt), integrando a Unidade de Acidente Vascular Cerebral (criada nessa altura, com 9 camas) e a Unidade de Cuidados Intermédios de Medicina (uma unidade de 9 camas, criada em 2002 e independente até então).

Em abril de 2011, com a criação do Centro Hospitalar, o Serviço de Medicina passa a integrar também uma enfermaria no polo de Valongo.

Em março de 2016 foi nomeado Diretor do Serviço Jorge Almeida, que o reestruturou em sete áreas distintas, do ponto de vista logístico (enfermarias de Medicina A-Mulheres, enfermarias de Medicina A-Homens, enfermarias de Medicina B-Mulheres, enfermarias de Medicina B-Homens, internamento de Medicina Interna de Valongo, Unidade de Cuidados Intermédios de Medicina, Unidade de Acidente Vascular Cerebral), mas mantendo sempre a unidade operacional do Serviço.

Em 2019, a Unidade de Cuidados Intermédios Medicina aumentou a sua lotação para 11 camas.

Em julho de 2021, o setor de enfermarias sofreu nova reestruturação: Internamento Homens no piso 4 (capacidade para 100 camas), com duas unidades (Nascente e Poente) e Internamento Mulheres no piso 3 (capacidade para 108 camas), com duas unidades (Nascente e Poente): manteve-se a enfermaria do polo Valongo (32 camas).

Atualmente o Serviço de Medicina Interna do CHUSJ dispõe de 222 de camas de internamento em enfermaria e 20 camas nas unidades de cuidados diferenciados (11 camas na Unidade de Cuidados Intermédios de Medicina e 9 camas na Unidade de Acidente Vascular Cerebral); contudo, o funcionamento do Centro Hospitalar, centrado no doente, permite a utilização de qualquer cama disponível, independentemente da sua localização, sempre que essa lotação é ultrapassada.

O Serviço desenvolve a sua atividade no internamento, no apoio urgente aos serviços do hospital e na consulta externa. Tem como áreas de interesse: insuficiência cardíaca, hipertensão arterial, doença cerebrovascular, doenças auto-imunes, tromboembolismo venoso, risco cardiovascular e doenças metabólicas